A história do meu cabelo e como fiquei ruiva


Arquivado em , , , , ,
Adivinhem quem é a mais nova ruiva da blogosfera? Euzinha! Tingi os fios há uma semana e posso dizer que foi a melhor coisa que já fiz. Estou adorando a cor e apaixonada pelo meu novo look. Só falta tingir as sobrancelhas e, aí sim, fica tudo completinho!

Para começar minha #sagaruiva, resolvi fazer uma retrospectiva do meu cabelo. Então, sim, o post será longo! HUE A ideia é ir contando aqui no blog todos os tratamentos que estou fazendo nos fios agora, já que o ruivo é uma cor bem chatinha para manter e requer muitos cuidados. Para chegar nessa cor e nessa textura, meu cabelo já passou por outras químicas e cores. Olhem só (e ignorem as fotos toscas hehe):

Nasci com o cabelo preto, bem preto mesmo, e liso. Porém, com o tempo, a cor passou para um castanho escuro. O liso permaneceu até uns 11 anos e meu cabelo era daqueles que não segurava nada, nem presilha, nem tererê (como vocês chamavam isso aí? haha), nem qualquer coisa que eu quisesse usar. 

Por volta de 2006 (foto 1), tive um problema de saúde que mexeu com todo meu organismo: por conta de uma infecção no estômago, minhas unhas e madeixas enfraqueceram. Caiu tanto, mas tanto cabelo que nem sei como não fiquei careca! haha. Isso sem contar que fiquei cheia de frizz. Ô, época!

Com uns 14 anos, como "sequela" do problema de enfraquecimento nos fios, meu cabelo começou a cachear muito nas pontas e ficou bem grosso. Além disso, ainda caía muito, então o frizz me perseguiu por um bom tempo ainda. 

Aí fiz minha primeira burrada capilar! Estava louca por um novo visual e minha mãe nunca me deixou tingir o cabelo nem fazer nada. Perguntei se estava tudo bem se eu fizesse luzes e ela topou. Euzinha, com 14 anos, louca para mudar de look e a única alternativa eram as tais mechas. Claro que me arrisquei.

Feliz da vida, um dia antes da formatura da oitava série, lá estava eu no salão para fazer as luzes. No fim, decidi que também queria franjinha. Na última vez que tinha feito franja assim, eu tinha uns oito anos. Por que não seria legal tentar de novo aos 14? 

O problema é que eu não esperava que as luzes deixassem meu cabelo tão detonado (foto 1). O coitado armou, ressecou e ficou mais zoado do que já era. Nem preciso falar que a frajinha ficou horrível, né? Pior besteira que fiz na vida!

Só fui gostar mesmo das mechas quando os meses se passaram, o cabelo cresceu, melhorou e o loiro desbotou. Quando estava nas pontas, até curtia (foto 2). Meu cabelo não estava tão ressecado, nem tão grosso e nem tão cacheado. Foi nesse período que passei a tratar mais do cabelo, fazer hidratações e investir em produtos legais. Ah, e como os fios estavam mais curtos e eu ainda tinha aquela neura de que meu cabelo estava leãozinho, passei a não viver sem chapinha. Não sei como meu cabelo aguentou!

Em 2010, estava louca para mudar o look e também não aguentava mais aquele loiro desbotado nem as pontas ressecadas. Aí, mesmo só precisando cobrir as pontas, joguei uma tinta cor castanho escuro em todo o cabelo.

Nessa época, também passei a investir mais na hidratação e continuava com a tal da chapinha. Uma semana depois dessa foto acima, voltei no salão para fazer um corte bem repicado, o que detonou um pouquinho mais o cabelo. Acho que foi a última vez que investi em um corte médio. Daí em diante, deixei os fios crescerem - e respirarem.

Então, em 2012, resolvi que iria mudar - de novo - a cor das minhas madeixas (foto 1). Me rendi ao meu desejo de sempre, que era me tornar ruiva, e lá fui eu na loja de cosméticos comprar a tinta que realizaria meu sonho de ser uma Weasley! haha. Saí de lá com uma Cor&Ton marrom acobreado (falei tudo neste post) e tingi em casa mesmo. Queria uma cor mais natural, pois ainda tinha medo de mudar radicalmente e zoar todo o cabelo, como aconteceu com as luzes. 

Mas não vi resultado nenhum e foi aí que comecei a entender uma coisa: tinta não clareia tinta. Eu ainda estava com restos do castanho escuro e me deixei levar pela foto da caixinha. Na época, se tivesse apostado em um tom mais laranjinha, acho que teria um resultado bem melhor, pois meu cabelo estava virgem da raiz até metade do comprimento. Então, os fios continuaram escuros, mas com reflexo cobre, que só aparecia em dias de sol.

No ano seguinte, lá pra junho, resolvi fazer uma selagem nos fios porque os coitados já tinham sofrido muito e iriam sofrer mais! haha. Ainda querendo virar ruiva, comecei a pesquisar e a ler sobre tintas dessa cor. Em um dos grupos que falam sobre esse assunto, vi meninas comentando que dava para chegar no ruivo laranjinha sem descolorir. Era só ir passando a tinta que, um dia, o cabelo todo pegava. 

Crente que desta vez iria dar certo, fui até a loja de cosméticos, comprei a Alfaparf 8.4 e a oxigenada 30vol da mesma marca. Paguei um cabeleireiro para tingir para mim. Expliquei tudo o que meu cabelo passou e perguntei se, ainda assim, ele iria sair de lá ruivinho. O cara me garantiu que sim, então, né? Topei.

Aí vi que era só enganação e joguei grana no lixo. Saí de lá com a raiz de uma cor e o comprimento de outro (foto 2). Ou seja: parte ruiva, parte ainda morena. O comprimento puxava um pouco pro ruivo avermelhado no sol, o que me deixou mais chateada porque nunca curti o vermelhão. O jeito era esperar e tentar de novo depois. 

Deixei passar alguns meses para meu cabelo se recuperar. No comecinho deste ano, resolvi tentar de novo e prometi a mim mesma que, caso não desse certo, iria juntar uma grana e pagar alguém para fazer o processo todo (descolorir e tingir). Não queria ter que descolorir o cabelo porque tinha medo que os fios não aguentassem ou que ressecassem muito. 

Li muitos textos na internet antes de escolher a numeração da tinta. Continuei com a Alfaparf. Como já tinha uma 8.4 em casa, comprei apenas a 9. Imaginei que, misturando uma tinta cobre com o loiro, o cabelo iria abrir bastante o tom. Para completar, ainda comprei a oxigenada 40vol da Avora. 

Tingi em casa mesmo, com a ajuda da minha mãe. A cor abriu bastante na raiz, diferentemente do comprimento. Aconteceu o que eu já esperava, mas ainda assim não fiquei chateada. Na verdade, estava feliz de ver algum resultado. Com o tempo, ao longo das lavagens e o crescimento do cabelo, comecei a reparar que o comprimento estava mais claro, sim. Dá para ver melhor nesta foto.

Então, tudo conspirou para eu virar ruiva de uma vez. Minha raiz já estava bem grande, bem como minha vontade de ficar ruivinha. Já tinha cansado do look de sempre e queria agregar (mais) valor ao meu 2014, mudando de vez. Juntei uma grana, fui em um salão de confiança, onde corto o cabelo há uns três anos e onde foi o único lugar que acertou no corte que eu queria! hehe. Marquei lá com a cabeleireira e fiquei super ansiosa pro tal dia chegar!

O processo todo aconteceu no sábado, 12 de abril. Para começar, foi preciso tirar toda aquela pigmentação antiga dos fios e foi bem demorado. Cheguei no salão às 15h e saí por volta das 17h30, já ruivinha. 

Meu cabelo ficou bem loiro e até me assustei quando me olhei no espelho. Lembrei de quando tinha luzes e foi até engraçado me ver, de novo, com as mechas. Mas não durou tanto tempo, ainda bem! Logo depois, a cabeleireira passou a tinta e perguntou qual tom eu queria. Respondi que era o ruivo laranjinha e mostrei uma foto. Aí, ela me explicou que iria deixar um pouco diferente do que eu queria, pois se deixasse logo no laranjinha, meu cabelo iria desbotar para o loiro rapidinho. Então, preferi apostar no tom mais escuro, puxado um pouco para o vermelho, mesmo. Não quero ser loira jamais! haha.

Além disso, ela deixou minha raiz mais escura para que eu não estranhasse tanto e, também, para não ficar tão feio quando o cabelo crescesse. Aceitei a ideia porque sabia que seria o melhor para eu me acostumar com a nova cor. Aí, quando retocar, pinto tudo - até a sobrancelha!

Eu não sei qual tinta ela usou porque sou idiota e esqueci de perguntar hehe. Com a correria nesses últimos dias, não tive tempo de ligar para o salão e perguntar a marca e numeração da tinta. Mas, assim que eu tiver essa informação, eu atualizo o post, tá?

Na quarta-feira passada, lavei os fios pela primeira vez. Usei o shampoo, condicionador e máscara da linha Fructis Oleo Reparação, da Garnier. Meu cabelo se deu muito bem com essa linha e, desde que comecei a usá-la, meus fios estão bem mais bonitos e saudáveis. Tanto que abandonei a chapinha! hehe. Com exceção da máscara, que comecei a usar esta semana. Não senti muita diferença, mas ainda não tenho uma opinião formada sobre ela porque só usei uma vez.

Não senti que a cor desbotou tanto quanto imaginei que fosse desbotar. Mas foi o suficiente para ficar da cor que eu queria! Muito amor <3 

Na segunda lavagem (ontem), aproveitei para fazer uma hidratação. Usei o creme BB Cream da Novex e algumas ampolas de vitamina. A proporção foi: cinco colheres de sopa de creme, algumas gotinhas das ampolas e uma colher de banho de brilho cobre da Kert. 

A gororoba toda deu resultado, galera! haha. Meu cabelo não ressecou muito com a tintura, mas nem por isso abri mão de hidratá-lo. Ele ficou bem macio, soltinho e ondulado, do jeito que gosto. E continuou laranjinha. Estou muito apaixonada pela cor!

Agora vocês conhecem a história completa do meu cabelo! Queria contá-la para vocês antes de começar a registrar minha #sagaruiva no blog. A ideia é trazer atualizações sempre que eu fizer algo novo, ou com relação a tratamento ou com relação a cor. Assim, dá para ajudar vocês aí que são ou querem se tornar ruivas, né? Ah, e só para lembrar: as fotos do post estão sem edição.

E vocês? Curtiram o post? Gostaram do meu novo visual? Comentem aí! ;)

Fotos e fatos da semana #2


Arquivado em , , , , , ,
Adivinhem só quem teve uma semana muito legal? Fico muito feliz quando meus dias rendem e quando, no fim de semana, tenho coisas legais para contar aqui no blog. Gosto de sentir que minha semana valeu a pena, sabem? E a minha foi tão legal que resolvi dar continuidade ao Fotos e fatos da semana. Yey!

Terça-feira, 08 de abril. Minha terça-feira começou bem cedo por motivos de:::: Once Upon a Time. Quando tem episódio novo, sempre acordo antes que o horário normal só para acompanhar a série. Porém, como na segunda-feira eu tive outras coisas para resolver, tive que deixar para terça. O episódio foi +QD+ e, com certeza, o melhor da terceira temporada! 

No estágio, escrevi um release sobre a entrega de um cão para a Marcelle, uma ex-paciente de uma das unidades aqui de São Vicente, o Centro São Camilo (leia aqui). À tarde, lá pelas 17h, fiquei sabendo que algo me esperava lá nos Correios e fui até o local buscar. Sabem o que era? Essa caneca linda com a logo do blog, presente da Zocprint. Depois faço um post contando tudo direitinho, tá? 

Quarta-feira, 09 de abril. Fiquei tão empolgada com a entrega do cão para a Marcelle que pedi à minha chefe se eu poderia acompanhar o momento. E ela deixou! Corri atrás do carro para me levar ao local e pedi o fotógrafo da Prefeitura. Por sorte, consegui os dois e lá fui eu para a casa da família.

Eu nem consigo explicar a emoção que senti nessa entrevista. A Marcelle, de 12 anos, tem paralisia cerebral e recebeu a Bianca, uma Golden Retriever de um ano, para ajudá-la no tratamento. As duas se deram bem logo de cara! Fiquei muito emocionada com o momento e a história da família. Publicaram minha matéria um dia depois e recebi muitos elogios, o que me deixou muito feliz. Quem tiver interesse, pode conferi-la neste link.

À noite, na faculdade, tivemos orientação para a próxima revista, a qual o tema será idosos e meu grupo ficou com a parte de cultura. Agora nós seremos orientados pela professora Raquel e foi bem animador conversar com ela, que tem muitas ideias e sugestões. Acabamos uma revista há pouco tempo (o tema era comunicação) e já estamos preparando outra. Tempo livre pra quê, né? hehe.

Quinta-feira, 10 de abril. Minha quinta-feira foi parte animada e parte cansativa. Foi nesse dia que minha matéria sobre a Marcelle foi publicada e fiquei muito feliz com o retorno que tive. Mas também estava me sentindo bem exausta por conta da correria dos dias anteriores. Ainda assim, valeu a pena!

Este dia também foi especial porque o Gui (meu namorado) e eu completamos três meses juntos. Fico muito feliz em ter alguém como ele por perto, me aturando por esse tempo todo (e não é fácil não, viu?). O passarinho do amor veio nos visitar e resolveu permanecer. Gosto assim <3

Sexta-feira, 11 de abril. Acordei na sexta-feira com um dia maravilhoso me esperando (foto 1). Não gosto de calor, mas a manhã estava tão bonita que nem me importei com o tempo abafado.

No estágio, o job do dia foi acompanhar uma matéria lá na maternidade (foto 2). A TV Tribuna (afiliada à Globo) foi até o local entrevistar dois socorristas do SAMU que ajudaram no nascimento de um bebê (leia mais aqui).

Na volta, combinei de encontrar uma amiga, a Bruna Candeia, para comprar uma pulseira de Harry Potter que ela estava vendendo (foto 3). Fiquei in love por esse acessório. Gostei tanto que nem me importo que ela fique um pouco folgada, até porque meu pulso é hiper fino e já aprendi a conviver com isso! hehe. Ah, e quem quiser uma, a Bru disse que encomendou mais. Falem lá com ela ;)

Sábado, 12 de abril. Minha manhã de sábado já começou de uma forma especial! Recebi um mimo da Andreoli MSL Group (foto 1), que me enviou umas coisinhas do bolinho Ana Maria (vou contar o que é em um post especial, tá?). Fico muito feliz em receber mimos. Neste caso, fiquei ainda mais feliz porque veio algo de comer HUE #blogueira #gordinha.

Na aula de inglês, fiz duas provas (escrita e oral) e espero ter ido bem! haha. Depois, voltei para casa, almocei e tirei um cochilo porque tinha um compromisso mais tarde: mudar o visu!

Às 15h, cheguei no salão. Uns 20 minutos depois, a cabeleireira começou todo o processo. Cheguei até a ficar um pouco loira (foto 2), acreditam? Mas, se acalmem aí, que eu não fiquei com essa cor, não. Fui lá para tingir os fios de ruivo e fiquei muito feliz que tudo deu certo. Estou a-m-a-n-d-o a cor. Quase uma Weasley! haha (quem me dera). Mas a transformação merece um post especial, né? Aguardem <3

E assim foi a minha semana! Agora quero saber de vocês: o que fizeram de legal nesses últimos dias? Comentem aí

Correios: Rosegal


Arquivado em , , , ,
Não sei vocês, mas eu adoro esses modelos de bolsa estilo carteiro. Acho super prático, versátil e ideal para levar o necessário, como documentos, celular e, no meu caso, bloquinho de anotações e caneta (ê, jornalista!). O bom de ter uma bolsa nesse estilo é que acabo levando só o que vou precisar, mesmo. Tenho mania de sempre colocar coisas que não são tão necessárias assim quando uso modelos de bolsa maiores. Sou a única? 

Foi por isso que escolhi essa bolsa azul quando a Rosegal entrou em contato comigo e me ofereceu uma peça do site. Eu adorava essa loja e ficava olhando as roupas de lá sempre. Vocês aí que me acompanham sabem que eu amo peças no estilo vintage, com estampas florais e coisas do tipo, né? Pois é... Lá tem tudo isso e por ótimos preços! E o legal é que você pode conferir as medidas das roupas antes de comprar. Bem mais fácil!

Depois que pedi a bolsa, começou a espera pelo envio. Pensei que fosse demorar, no mínimo, um mês, principalmente porque, na época, a agência dos Correios que realiza entregas no meu bairro teve uns probleminhas. Mas não! O pacote chegou bem rápido, em questão de uns quinze dias. 

O produto veio protegido por um tecido bem fofinho, cujo não sei o nome (#semataJulie). Ele chegou em ótimo estado e continua assim até hoje, mesmo eu usando-o quase sempre. A bolsa é de um material resistente e protege bem da chuva. Já a tenho por uns dois meses e não estragou nadinha. Gosto muito dela porque combina com quase tudo que visto e é bem prática. 

A bolsa, apesar de estreita, dá pra levar até muita coisa. Eu sempre carrego minha carteira nela, que é bem gordinha (não de dinheiro, infelizmente #cry), e ainda sobra espaço para outros itens como celular, batom, rímel e bloquinho. Dentro ainda tem um espaço com zíper onde gosto de guardar cartões de transporte, celular e coisas importantes, que não posso perder.

Muitas leitoras já me perguntaram se a Rosegal é confiável. Não cheguei a comprar nada no site, então a impressão que tenho da loja é baseada na entrega da bolsa, tá? Quanto a isso, achei tudo ok. A entrega foi rápida e o produto veio bem embrulhado e protegido. Pontinhos pra Rosegal!

Agora quero saber de vocês: o que acharam da bolsa? Gostaram? Comentem aí! 

I wanna say thank you to Rosegal for this gift. I really loved it ;) 

O post não é um publieditorial. O produto foi enviado como presente e, como gostei da bolsa e da loja, resolvi indicá-los :)