Meus 10 esmaltes favoritos!


Arquivado em , , ,
Se tem algo que eu não consigo fazer é nail art. Não tenho muita coordenação motora, então qualquer tentativa de desenhar nas unhas sai uma catástrofe e mal consigo fazer algumas bolinhas. Por esse motivo, o assunto é pouco abordado aqui no blog. Não posso ensinar algo que não sei, né?

Hoje, enquanto estava arrumando uma baguncinha no quarto, peguei minha caixa de esmaltes para organizar. E fiquei pasma quando percebi que tenho uns 60! Como não sei fazer algo elaborado, gosto de investir em cores legais e até fazer combinações. Já que não tenho dom, o jeito é usar a criatividade!

Para inspirar vocês que passam pelo mesmo que eu, resolvi mostrar quais são as minhas cores de esmaltes favoritas. Fiz um top dez com aqueles que mais uso e amo. Ah, e ignorem as sujeirinhas, tá? Só percebi que estava sem acetona depois que terminei de pintar :P (e só consegui tirar porque encontrei meus lencinhos removedores #vidadeblogueiradesastrada).










E vocês? Curtiram as cores? Quais são seus esmaltes favoritos? Comentem aí!

Saga ruiva: nova tinta e novo corte!


Arquivado em , , , , ,
É oficial: 2014 é o ano das minhas mudanças capilares! Meu cabelo deixou de ser uma mistura de cobre na raiz com castanho nas pontas para se tornar ruivinho e mais curto. Nunca achei que abandonaria os fios longos, mas desde que cortei na última vez (quem lembra?), eu desapeguei. Mudar é libertador!

Além disso, nesse meio tempo sem posts da saga ruiva (vocês podem acompanhar aqui), eu usei duas tintas diferentes. Como criei o hábito de contar essas trocas aqui no blog, resolvi juntar tudo e falar delas em uma só postagem. Ah, e claro: mostrar meu novo corte <3

A última tinta que falei aqui no blog foi a Elisafer 8.34 (confira o post). Ela desbotou para um tom dourado, quase loiro e bem sem graça. Para manter o laranjinha, eu continuei usando o tonalizante Crazy Orange e o banho de brilho cobre, ambos da Keraton, porque não encontrava tintas ruivas por aqui. Só que, né... Chega uma hora que a raiz se torna o centro das atenções! haha.

Em agosto, fui com uma amiga para Liberdade, um bairro de São Paulo, e descobrimos um paraíso chamado Ikesaki. Imaginem só uma loja de cosméticos com uns quatro andares? Tinha um especial só para produtos de cabelo e, entre eles, várias marcas de tintas que sempre quis testar!

Infelizmente não havia tanta numeração ruiva por lá. A única que encontrei próxima ao meu tom foi a Itely Colorly 8FA e a comprei junto com água oxigenada de 30 volumes. Já tinha visto algumas blogueiras falando da marca e por isso resolvi arriscar. 

O cheiro da tinta não é desagradável e isso contou pontinhos para a Itely. Porém, fiz a burrice de não ler o manual de uso, que avisava a necessidade de colocar um pouco de água na tinta. Por isso, ela ficou craquelando na aplicação. Achei isso bem chato, mas pelo menos não atrapalhou a fixação da cor. 

Foto sem edição de brilho/contraste

A única coisa chata foi que minha raiz não abriu muito e ficou mais escura que o resto do cabelo. Achei estranho porque não tive problemas com isso quando usei a Elisafer. Ela ficou bem uniforme, diferente da Itely. 

Ainda assim, gostei da duração da tinta e de como ela deixou meu cabelo macio. A Itely desbotou bem pouco e durou bastante! Fiz pouquíssimos retoques com banho de brilho e tonalizante, pois realmente não foi necessário. Só precisei pintar de novo porque a raiz começou a dar sinal de vida.

Na semana passada, sem querer, descobri a Mulher Bonita, uma loja de cosméticos em Santos e bem perto do meu novo estágio. Encontrei várias marcas que sempre quis por lá e, além disso, todas tinham numerações cobres. Ou seja: pirei! haha.

Olhei os catálogos e resolvi levar a Keune 8.4 + 0/44 (mix ruivo) com ox de 20 volumes para não ficar um laranja muito chamativo. A Keune é super conhecida e amada pelas ruivinhas, então nem hesitei em levar. Assim como a Itely, o cheiro não me incomodou. Achei a aplicação bem fácil, também!

Foto sem edição de brilho/contraste

Infelizmente, minha primeira experiência não foi muito boa: a raiz não abriu de novo e o mix deu uma leve avermelhada nos fios. Eu deveria ter usado uma oxigenada mais forte na raiz, mas acabei nem me ligando nisso. Agora parece que puxei luzes ruivas, sabem? Pelo visto, a única que deixou o cabelo todo uniforme foi a Elisafer. Pena que ela desbota para uma cor feia! #chateada

A primeira lavagem depois da coloração deu uma boa desbotada e tirou o avermelhado. Agora os fios estão mais puxados para o laranjinha e eu adorei isso. Ah, a Keune deixou um cheirinho bem gostoso no cabelo e ele ficou bem macio. Eu pretendo usar a marca outra vez e, na próxima, com a ox correta! haha. #desastresacontecem

Logo quando cortei / após a primeira lavagem (fotos sem edição)

Aproveitando que agora acordo super cedo, que o tempo está quente e que o novo cabelo da Taylor Swift está maravilindo, resolvi me inspirar na cantora e tirar os fios para lavar! Sim, estou de look novo, de novo. Usei uma foto da Taylor como modelo e pedi para a cabeleireira passar a tesoura sem dó. Agora meu cabelinho está com um corte long bob, com as pontas maiores na frente. Galera, só amor <3

Agora quero saber de vocês: curtiram o post? Estão gostando de acompanhar minha saga ruiva? Comentem aí!

Eu voltei - e agora é para ficar!


Arquivado em , , , ,
Mais de um mês se passou desde que eu escrevi nesta tela pela última vez. Foi assim, sem avisar, que eu deixei esse mundo para fazer sei lá o quê. Quando terminei minha última publicação, eu não sabia que tudo ficaria tão de lado. Bagunçado, talvez, seja a explicação correta. Não sei.

Nesses mais de trinta dias, muita coisa mudou. Cortei o cabelo de novo. Troquei de estágio. Terminei trabalhos que pareciam intermináveis. Finalizei mais um ano na faculdade. Conheci leitoras do blog. Fiz amizades novas. A Branquinha, cadela que vivia na rua, me adotou. Viciei no novo álbum da Taylor Swift. E, de novo, me perdi nos horários. Talvez eu esteja ficando craque nisso.

A verdade é que o dia nunca pareceu tão curto como agora. O que é irônico, porque acordo ainda mais cedo. Deixei de lado, sem querer, um pouquinho da vida online para garantir o futuro da offline. O hiatus foi imprevisível, mas rolou.

E ele acaba por aqui.

Senti mais falta do blog do que achei que sentiria. Essa ausência toda me fez perceber que o Julie de Batom é um pedacinho de mim que nunca vai morrer. Enferrujei um pouco nessa coisa de blogar, mas quero ter de volta todo esse tempo perdido. Não sei como será o futuro, no que tudo vai dar. Só quero oferecer meu máximo para fazer tudo funcionar de novo. 

Peço desculpas aos leitores que apareceram por aqui e não encontraram novidades. E aproveito para enviar muito amor a todos vocês que puxaram minha orelha para voltar. Obrigada por todo o carinho! <3

Beijinhos de Batom,
Julie.